Fibromialgia, outras condições crônicas em veteranos vinculados a traumas sexuais, militares e de estudos

As pessoas nas forças armadas que experimentam trauma, incluindo trauma sexual, têm um risco aumentado de desenvolver transtorno de estresse pós-traumático (PTSD), transtorno depressivo maior e condições como fibromialgia e dor crônica, de acordo com pesquisadores.

Suas descobertas foram relatadas em um estudo apresentado na Reunião Anual da Associação Americana de Psiquiatria, realizada de 5 a 9 de maio em Nova York. O cartaz foi intitulado “Aumento da prevalência de MDD, PTSD e condições médicas com trauma sexual militar”.

Um estudo publicado em 2017 constatou que cerca de 57% das mulheres veteranas apresentaram manifestações clínicas consistentes com fibromialgia, sugerindo que essas mulheres estão em risco de desenvolver dor crônica generalizada.

Além disso, a fibromialgia em mulheres veteranas mostrou-se associada a sintomas psicológicos de estresse, depressão e transtorno do estresse pós-traumático, embora apenas 14% dos participantes do estudo tenham sido implantados.

No último estudo, uma equipe de pesquisa liderada por Gen Shinozaki, MD, professor associado de psiquiatria da Universidade de Iowa, examinou mais de perto possíveis associações entre traumas físicos ou psicológicos dentro das forças armadas e várias condições de saúde.

A equipe conduziu entrevistas telefônicas assistidas por computador com 201 homens e 187 mulheres que foram recrutadas no Centro Médico de Assuntos de Veteranos de Iowa City. Dos 388 veteranos entrevistados, 63 deles (58 eram mulheres) relataram terem sido vítimas de tentativa ou ataque sexual.

Como a Associação Americana de Psiquiatria anunciou em um comunicado de imprensa, os pesquisadores descobriram que doenças crônicas como diabetes, fibromialgia, fadiga ou dor crônica eram mais frequentes entre homens com histórico de trauma militar. Mas essa descoberta foi baseada em dados médicos limitados.

Verificou-se que a depressão está significativamente associada a uma história de trauma militar e experiências infantis negativas em veteranos do sexo masculino e feminino.

No entanto, descobriu-se que o TEPT estava ligado a uma história de trauma militar e experiências adversas na infância, mas também a uma história de trauma sexual em mulheres veteranas. Entre os veteranos do sexo masculino, o TEPT foi associado apenas ao trauma militar.

Este estudo acrescenta evidências adicionais de que os veteranos estão em maior risco de depressão e transtorno do estresse pós-traumático, mas também de desenvolver doenças crônicas, como a fibromialgia.

Pelo menos em parte, essas condições médicas estão ligadas a traumas psicológicos e sexuais, aos quais os veteranos são expostos.

Estudos adicionais são necessários para abordar ainda mais os riscos à saúde aos quais homens e mulheres militares estão expostos e precisam lidar durante e após seu tempo no serviço.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

Close
error: Content is protected !!